Showing posts with label ARTIGOS EM PORTUGUÊS. Show all posts
Showing posts with label ARTIGOS EM PORTUGUÊS. Show all posts

Sunday, June 11, 2017

O Significado da Arya Sangha (Nobre Sangha) no Jodo Shinshu

traduzido do Inglês por Shaku Shinkai
(click here for the English version)

Leia este artigo primeiro:
Os três refúgios no budismo JodoShinshu -

Pergunta:
Quando você recita os três refúgios e toma refúgio na Sangha, você toma refúgio nas pessoas comuns e não iluminadas ou na Nobre Sangha, como nas outras escolas budistas?

Resposta:
No budismo mahayana, o termo Arya Sangha[1] representa a Sangha ideal, isto é, todos s seguidores de Buda, leigos ou ordenados, que tenham pelo menos  atingido o primeiro nível dos dez estágios do boddhisattva (dez bhumis)[2]. Isto é para separa-la da sangha em seu nível convencional que significa todos os monges e monjas budistas.

Os três refúgios no Jodo Shinshu

traduzido do Inglês por Shaku Shinkai

Os três refúgios[1] são:

EU TOMO REFÚGIO NO BUDA
Buddham saranam gacchami
EU TOMO REFÚGIO NO DHARMA
Dhammam saranam gacchami
EU TOMO REFÚGIO NA SANGHA
Sangham saranam gacchami

A primeira linha significa tomar refúgio no Buda Amida que é o Buda central no Jodo Shinshu. Apenas através dele podemos alcançar o Estado de Buda na Terra Pura já que ele é o único Buda dentre todos os Budas que fez um Voto de salvação para todos, independente de suas capacidades espirituais.

Wednesday, April 5, 2017

Sobre os fantasmas famélicos (seres famintos) que querem dominar os outros seres através da religião

traduzido do Inglês por Shaku Shinkai

- click here for the English version - 

“Aqueles que tomam refúgio com sinceridade e mente confiante, liberando a si mesmos de todos os apegos ilusórios e preocupações com o que é propício e impropício, nunca devem tomar refúgio nos espíritos ou nos ensinamentos não budistas.”[1]

Seres não iluminados são a causa kármica da existência dos reinos samsáricos não iluminados. Seus karmas individuais e coletivos manifestam estes reinos, mundos  e universos nos quais vivem. Ao contrário disso, seres Iluminados ou Budas, naturalmente e karmicamente manifestam Terras Puras ou reinos Iluminados. Se um assim chamado  “ser supremo” criou um mundo como o nosso, isto significa que ele não é iluminado, porque se o fosse, este mundo teria sido perfeito e habitado por seres perfeitamente iluminados. Buda Amida (e qualquer Buda!) não finge ser o criador deste mundo samsárico, apenas de sua Terra Pura Iluminada, para onde ele prometeu levar todos os seres samsáricos para a liberação final (Estado de Buda ou Nirvana).

Thursday, February 9, 2017

Versos de aspiração para fazer oferendas



Eu ofereço esta flor para Buda Amida em nome de todos os seres. Que ao ver a beleza da flor se esvaindo, possamos perceber que nossas vidas e nossas chamadas conquistas espirituais são passageiras e assim voltemos nossas mentes e corações para o Poder de Salvação de Buda Amida.

Eu ofereço este incenso  para Buda Amida em nome de todos os seres. Que o perfume do Dharma possa nos impregnar para recebermos a fé e nascer na sua Terra Pura após a morte.

Eu ofereço este copo de água para Buda Amida em nome de todos os seres. Que nossa sede seja para sempre saciada na sua Terra Pura onde atingiremos a perfeita Iluminação.

Eu ofereço este arroz para Amida Buda em nome de todos os seres. Que possamos receber a fé e para lá guiar a todos. Que as sementes do Dharma de Amida se multipliquem ao infinito até que o oceano da existência Samsárica torne-se completamente vazio. Namo Amida Butsu.

                                                                       *

Estas palavras me vieram espontaneamente enquanto estava sentado diante do altar de Buda Amida fazendo as oferendas. Não se trata de algum tipo de transferência de méritos, mas um simples desejo e reconhecimento. Todos os objetos no Templo são um lembrete da compaixão de Amida por nós e da necessidade de nos agarrarmos a Ele com a mente confiante. Até onde eu sei, as flores, o incenso e as velas significam, respectivamente, a impermanência, o perfume do Dharma e a Luz de Amida em todos os templos Shinshu afiliados ao Hongwanji. É certo que é possível recitar o Nembutsu sem a necessidade de versos, hinos ou implementos ritualísticos. Cabe a cada um curtir o seu relacionamento pessoal com Buda Amida como quiser.

PS: Ao invés de água, pode-se oferecer qualquer bebida não alcoólica.

Friday, September 30, 2016

Não há Deus supremo ou Deus criador no Dharma de Buda

(translated from English by Shaku Shinkai)


- click here for the English version -

Buda (á direita) ensinando a Verdade ao Brahma Baka (esquerda), 
que estava sob a ilusão de que é supremo no mundo.
Hoje em dia, muitas pessoas de dentro e fora da Sangha disseminam a idéia de que o Buda Shakyamuni não negou e nem afirmou a existência de Deus. Então, de alguma forma está implícito que o Honorável deixou a porta aberta para interpretações e que um discípulo budista pode acreditar em um Deus Criador ou Supremo.

Esta é uma ilusão que não está de acordo com o ensinamento de Shakyamuni. De fato, o Buda negou claramente a existência de um ser supremo que criou o mundo, governa o mundo e um dia julgará o mundo. Neste artigo e em outros que virão em seguida, não tenho a intenção de entrar em nenhum debate ou polêmica com seguidores de outras religiões sobre a existência ou não existência de um Ser Supremo, quero apenas provar que o Buda Shakyamuni claramente negou esta questão, considerando-a como uma ilusão falsa e perigosa. Para mim, a coisa mais importante não é o que as religiões monoteístas dizem, ou se alguns preferem crer em um Deus Criador (é escolha de cada um), mas sim o que disse  o Buda. Então, se nos consideramos discipulos de Buda, devemos entender sua posição sobre este assunto e segui-la com fé.

Monday, September 26, 2016

Explicações gerais sobre “ser”, “karma” e “renascimento”

(translated from English by Shaku Shinkai)

- Click here for the English version - 
            
Samsara é o ciclo de renascimentos e mortes através do qual os seres não iluminados devem passar devido ás suas ilusões kármicas e paixões cegas. Mas antes de entrar em detalhes sobre esta tópico, vamos entender o que é o “ser” ou uma “pessoa” de acordo com o ensinamento budista, e também, o que é “karma” e “renascimento”.

Agora, caros amigos, imaginem que você tem um carro na sua frente. Agora imagine que você perde uma das rodas deste carro e a deixa de lado. O carro e a roda são idênticos? Agora pegue uma segunda roda e proceda do mesmo modo, perguntando-se a mesma coisa. Continue a desmontar o carro e não pare até que cada componente do automóvel seja posto de lado. Agora pergunte-se de novo: estes componentes, separadamente, representam o automóvel? Você irá concluir logicamente que a resposta é  “não”.

Tuesday, May 24, 2016

Se o Voto Original de Amida é Verdadeiro...

                                            (translated from English by Shaku Shinkai)

 Shinran Shonin disse:
Shinran Shonin

“Se o Voto Original de Amida é verdadeiro, então o ensinamento de Shakyamuni não pode ser falso. Se os comentários de Shan-tao são verdadeiros, as palavras de Honen podem ser falsas? Se as palavras de Honen são verdadeiras, então certamente o que eu digo não pode ser vazio.[1]

O Voto Original é verdadeiro. Esta é a base da nossa fé e de todo o Dharma de Amida ensinado por Shakyamuni e os Mestres que vieram depois. Tudo começa assim – o Voto Original é verdadeiro. Se aceitamos que o Voto original é verdadeiro e confiamos nele sem dúvida, então somos salvos; se não, esta vida em forma humana será em vão:

“se nesta vida você ainda está emaranhado em uma rede de dúvidas, então inevitavelmente você deve passar mais uma vez no caminho de nascimentos e mortes através das miríades de kalpas[2]”.

Friday, May 6, 2016

As consequências kármicas de negar a realidade transcendental de Buda Amida e sua Terra Pura

(translated from English by Shaku Shinkai)
- click here for the English version - 

Mestre T'an-luan (476-542)
A doutrina dos Três Corpos do Buda (aspectos) e a doutrina dos Dois Corpos do Buda geralmente não são compreendidas por aqueles que não aceitam a existência dos muitos Budas transcendentais no Mahayana[1]. Enquanto a verdadeira razão para esta atitude é a visão materialista do universo, estas pessoas usam o Dharmakaya sem forma (Dharmakaya da natureza do Dharma) como desculpa e argumento para reduzir todas as manifestações transcendentais a meros símbolos ou metáforas, chegando até a culpar o folclore budista por sua presença nas escrituras canônicas.

Mas, com certeza, o Mestre T´an-luan não compartilhava desta visão quando ele claramente dizia que justamente devido ao Dharmakaya não ter forma, não há forma que ele não possa manifestar.

“O Dharmakaya incondicionado é o corpo da natureza do Dharma. Porque a natureza do Dharma é Nirvânica, o Dharmakaya não tem forma. Porque ele não tem forma, não há forma que ele não possa manifestar. Portanto, o corpo adornado com as marcas de excelência é o próprio Dharmakaya”.   

“O corpo adornado com as marcas de excelência” é a manifestação transcendental específica de cada  Buda para a salvação dos seres sencientes:

Saturday, April 30, 2016

A doutrina dos Três Corpos (Aspectos) do Buda e Dois Corpos do Buda em relação ao Buda Amida e sua Terra Pura

(translated from English by Shaku Shinkai)

Os mestres da nossa escola utilizaram duas doutrinas ou duas maneiras de explicar o Buda Amida e sua Terra Pura, ambas admitem a história contada por Shakyamuni no Sutra Maior como verdadeira. Elas são chamada de  doutrina dos Três Corpos do Buda (Aspectos)  e doutrina dos Dois Corpos do Buda (Aspectos).



- A doutrina dos Dois Corpos (Aspectos) de Buda  Amida (clicque aqui)




fragmento do meu livro,


The doctrine of the Three Buddha-Bodies and Two Buddha-Bodies in relation with Amida Buddha and His Pure Land

The Masters of our school used two doctrines, or two ways of explaining Amida Buddha and His Pure Land, both admitting as true the storytold by Shakyamuni in the Larger Sutra. These are called, the Three Buddha-Bodies (Aspects) and the Two Buddha-Bodies doctrines.





Thursday, April 7, 2016

Não relaciona o shinjin (fé) com qualquer estado mental especial


Desista de qualquer expectativa relacionada á como você deveria se sentir após receber o shinjin (fé). Pare de filosofar sobre a fé, pare de esperar por acontecimentos especiais. Pare de pensar que a sua mente ficará estável quando você tiver fé. Mesmo que você não esteja se dando conta, você está cofundindo shinjin com o satori menor (iluminação), e ainda aguardando um milagre acontecer. Mas que milagre pode acontecer com uma mente não iluminada? Buda Amida não tem nenhuma expectativa em relação á você e ele oferece sua salvação sem nenhuma condição, então por quê você cria suas próprias condições sobre como o shinjin deveria ser?

Ao invés de imaginar coisas sobre o shinjin, você deveria simplesmente confiar em Amida. A fé não pressupõe nenhum estado da mente especial. É a fé simples em Buda Amida a respeito do nascimento na Terra Pura após a morte. Quando você recebe a fé você entra no estágio do nascimento assegurado na Terra Pura da maneira como você é, com todas as suas imperfeições. Por favor lembre-se que a causa da sua salvação NÃO está na sua mente e nos seus sentimentos, mas em Amida. É por isso que você não deve relacionar os seus sentimentos com o shinjin (fé). Não importa como você se sente desde que você confie em Amida. É trabalho de Amida salvar você, não é trabalho seu, então pare de se preocupar.

Wednesday, April 6, 2016

A compaixão como motivação para corrigir as visões distorcidas


“O que é a grande compaixão?Aqueles que continuam unicamente no Nembutsu sem nenhuma interrupção irão nascer na Terra da Bem-aventurança ao término de suas vidas. Se estas pessoas incentivam umas as outras e fazem com que as demais chamem o Nome, elas são chamadas de pessoas que praticam a grande compaixão”
(Shinran Shonin, KGSS)

  
Buda Amida ama todos os seres incondicionalmente, tanto aqueles que confiam nele quanto aqueles que têm visões distorcidas sobre ele. Devemos entender isso e tentar ao máximo nunca maldizer aqueles que deturpam o Dharma correto e tentar ve-los como mães e pais, irmãos e irmãs, porque de fato, estamos TODOS karmicamente relacionados. Mesmo Mara, o demônio celestial e seus seguidores, são irmãos e irmãs, mães e pais. Houve uma época em vidas anteriores em que cada um deles nos amou como filhos, amigos ou parentes. Não devemos nos esquecer disso e devemos retribuir a benevolência ao oferece-los o presente do verdadeiro Dharma de Amida e assim busca-los após nascermos na Terra Pura.

Sunday, February 28, 2016

As justificativas da "Mente Ocidental” para distorcer o Dharma de Amida


Buda Amida aguardando compassivamente que os
monges iludidos entreguem suas "mentes ocidentais"
para Ele
“Mesmo se um fogo enorme se alastrasse pelo universo de milhares de mundos, você deveria passar por ele para ouvir este Sutra e acordar a fé jubilosa, segui-la, recita-la e pratica-la de acordo com os ensinamentos”

(Buda Shakyamuni, Sutra Maior de Buda Amida)

Aposto que todos vocês já ouviram este slogan que é muito utilizado em muitos templos americanos, europeus e asiáticos: “Devemos adaptar o Jodo Shinshu ao ocidente” ou “á mente ocidental”... Todas as vezes que eu escuto isto, eu penso “Ah não, de novo não”...
Então vou começar dizendo logo no início deste artigo que NÃO existe “mente ocidental”ou “mente asiática” na qual possamos adaptar o Dharma de Amida, existe apenas mente aberta e mente fechada, uma mente de fé e uma mente com dúvidas. Alguns simplesmente aceitam os ensinamentos de Buda Shakyamuni enquanto outros não aceitam. Esta coisa de “mente ocidental” é uma ilusão e uma justificativa para esconder a falta de fé (shinjin) e uma justificativa daqueles que se autoentitulam como budistas “progressistas” e “modernos” para modificar o Dharma de Amida Quero dizer, leiam a história de Buda Amida como contada por Shakyamuni, leiam as cartas de Rennyo ou algumas das instruções simples do Tannisho ou Mattosho. O que é tão dificil de entender? Ou, talvez... a dificuldade talvez não  seja compreensão intelectual mas a aceitação dos ensinamentos e explicaçõs da fé...

Saturday, February 6, 2016

Algumas noções gerais do Budismo Jodo Shinshu


A roda da vida e da morte representando os estados 
samsáricos de existência, 
explicados em detalhes neste artigo. 
1) Samsara e Nirvana (Estado de Buda/Iluminação)

Samsara é o ciclo de nascimentos e mortes repetidos. Trata-se do efeito do karma[1] pessoal e coletivo (interdependente) de seres não iluminados[2], portanto não possui outro criador[3] além das nossas próprias ilusões, apegos e desejos. Há muitos estados samsaricos de existência, podemos mencionar por exemplo, os infernos, o reino dos seres famélicos, animais, humanos, asuras ou espíritos guerreiros e deuses. Todos os seres nascem, morrem e renascem novamente em seus respectivos reinos devido aos seus karmas e suas existências é acompanhada por diferentes tipos de sofrimentos eilusões[4].

O objetivo do caminho do Buda é escapar do Samsara e alcançar o Estado de Buda ou Nirvana[5]/Iluminação Perfeita[6]. Esta é a maior liberdade e felicidade que independe de qualquer causa ou condição e que existe como potencial inerente em todos os seres sencientes, não importa quão baixo seja o estágio em que se encontrem na escala espiritual de evolução. O fato de que  todos os seres sencientes possuem o potencial inerente para alcançar o Estado de Buda é chamado de  “Natureza Búdica[7]. Explicando de forma simples, assim como todas as sementes têm o potencial natural para tornarem-se árvores, todo os seres sencientes têm potencial para tornarem-se Budas.

Friday, February 5, 2016

A Terra Pura é um estado de consciência ou um lugar real?

Pergunta:
Ouvi dizer que a Terra Pura é um estado de consciência  e não um local real com formas e manifestações. O que você acha?

Resposta:
Estados de consciência não excluem formas e manifestações. De fato, dependendo dos estados de consciência de uma pessoa, várias formas aparecem. Portanto, para seres não iluminados, corpos samsáricos e seus reinos originaram-se dos efeitos de seus karmas obscuros especificos. Quando uma pessoa torna-se um Buda, manifestações transcendentais surgem (veja o artigo The Three Bodies/Aspects of Amida Buddha) como efeito da Iluminação e desejo de salvar todos os seres.

Sempre haverá formas e manifestações, não importa quão iluminada ou não iluminada uma pessoa seja. Quando condições não iluminadas estão presentes, formas não iluminadas que levam á paixões e apegos, aparecem – é por isso que todos os Budas assumem corpos transcendentais e criam esferas especiais de influência chamadas de Terras Puras.

Tuesday, February 2, 2016

A fé é simples, nada especial

 Percebi que alguns praticantes de outras tradições ou que têm experiência em outras escolas e que conversam comigo sobre o Jodo Shinshu, percebem o shinjin (fé no Buda Amida) como um estado mental especial que deve ser alcançado por eles e que deve ser difícil de se atingir. Talvez estas tendências venham das práticas ás quais eles estão acostumados em suas tradições, em que algo precisa ser alcançado, visualizado ou sentido.

Mas o shinjin é diferente, pois não implica necessariamente em um estado especial, ou algo que precisa ser sentido ou experimentado. É simplesmente confiar em Buda Amida. Eu confio em Amida para alcançar o estado de Buda em sua Terra Pura. E isto é tudo.

As pessoas, no geral, estão famintas por sensações e sentimentos especiais, pensando que se não sentirem algo especial, então talvez elas não tenham realizações espirituais verdadeiras. Mas em questões relacionadas ao shinjin e á salvação de Buda Amida, não é necessário nenhum estado da mente especial em sua vida diária.

Wednesday, January 13, 2016

Discussões do Dharma versus debates



Se as pessoas têm diferentes parâmetros religiosos, elas não devem ter uma verdadeira discussão do Dharma. Para mim as palavras dos Sutras e dos Mestres são supremas, a história contada por Buda Shakyamuni sobre Buda Amida é o verdadeiro Dharma, enquanto para outros o Dharma é o processo contínuo de mudança e adaptação ás suas mentes não iluminadas, crenças pessoais ou opiniões. Então, sobre o que mais devemos debater aqui? Aceito a existência literal e atual de Buda Amida e sua Terra Pura, enquanto alguns pensam neles com metáforas, símbolos ou até comparam Amida com um personagem fictício. É como se vivêssemos em planetas diferentes. Sobre o que realmente podemos discutir?

A verdade é que a menos que alguém esteja disposto a esvaziar a sua xícara de interpretações pessoais, não há razão para conversar sobre o Dharma de Amida. O karma de alguns seguidores é assim devido ao fato de não conseguirem ouvir com atenção. Mesmo  quando lêem e ouvem o Dharma, ouvem apenas o barulho da suas próprias mentes.  Pessoas assim não têm devoção e tratam o Dharma como propriedade, não como a medicação suprema do Buda.  Então o que há para debater?

Thursday, December 24, 2015

Entrando no caminho do Jodo Shinshu

Entrar no caminho do Jodo Shinshu é como tornar-se um membro dos Alcoolicos Anônimos e reconhecer: “Olá, eu sou Josho e eu sou alcoólatra”. Jodo Shinshu não diz algo como: “Olá, eu sou Josho e eu posso tornar-me um Buda”, ao invés disso, diz: “Olá, eu sou Josho, sou repleto de paixões cegas e sou incapaz de salvar a mim mesmo.”

Enquanto nas outras escolas, uma questão importante é o reconhecimento da possibilidade de cada ser tornar-se um Buda nesta vida, o Jodo Shinshu começa com um sentido de fracasso. Quando você estiver 100% convencido de que não poderá atingir o estado de Buda nesta vida, então você estará pronto para o Jodo Shinshu. Enquanto você ainda tiver na sua mente o menor pensamento de mérito pessoal ou o pensamento do tipo “talvez eu consiga”, você não poderá ver nem entrar no caminho da Terra Pura de Buda Amida.

A Terra Pura de Amida é como um país para onde qualquer um pode migrar sem o menor requerimento. Não há vistos, capacidades especiais, nem  outras qualidades. Como Shinran disse:

“Este é o caminho da prática fácil a ser seguido por aqueles de capacidade inferior; é o ensinamento que não faz distinção entre o bom e o mau.”

Então, a sangha do Jodo Shinshu é como o “clube dos idiotas” ou os Alcoólicos Anônimos em comparação com os budistas bons e legais que acreditam estar sempre calmos e prontos para iluminar-se assim como Shakyamuni.

Se você espera encontrar aqui uma passagens sobre o desapego ou como as pessoas são capazes de virtudes, bondades ou qualquer tipo de realização espiritual, então este não é o seu lugar. Mas, se você se identificar mais e mais no grupo dos alcoólicos espirituais ou aqueles incapazes de qualquer prática importante que leva a perfeição aqui e agora, em meio á sofrimentos e misérias de qualquer tipo, então este ensinamento será de grande valia e eu lhe desejo um “bem-vindo ao clube!”
Eu repito, o Jodo Shinshu começa com uma sensação de fracasso...





Monday, December 21, 2015

A doutrina dos Dois Corpos (Aspectos) de Buda Amida (Nishu Hosshin)


Esta doutrina foi bastante explicada pelo mestre T’an-luan no seu Ojoronchu[1]. Segundo ele, todos os Budas, inclusive Amida, possuem dois corpos/aspectos.

1. Dharmakaya da Natureza do Dharma (Hossho Hosshin)
2. Dharmakaya da Recompensa (Hoben Hosshin), também chamado de Dharmakaya dos meios hábeis.

 O primeiro é a realidade suprema e incondicionada além da forma, igualmente compartilhada por todos os Budas[2], enquanto o segundo é a manifestação específica e particular de cada Buda para o bem dos seres sencientes.

A relação entre eles é descrito desta forma:

Do Dharmakaya da natureza do Dharma origina-se o Dharmakaya da Recompensa; através do Dharmakaya da Recompensa, o Dharmakaya da natureza do Dharma é revelado. Estes dois Dharmakayas são diferentes, mas inseparáveis; eles são um e o mesmo.”

Sunday, December 20, 2015

Os Três Corpos (Aspectos) de Buda Amida

       
1.         Dharmakaya (Hosshin) ou Corpo do Dharma

Este é o aspecto da Realidade Suprema ou Verdade Absoluta. Está além das formas, imutável, inconcebível, sem começo nem fim. Todos os Budas compartilham o mesmo Dharmakaya ao atingir a Perfeita Iluminação; é por isso que é dito que todos os Budas, inclusive Amida, possuem a mesma essência. Não apenas o Buda Amida, mas sua Terra Pura também, possui o mesmo aspecto Dharmakaya. Isto é evidenciado a partir desta e muitas outras passagens similares dos textos sagrados:

Minha terra, sendo ela própria o Nirvana,
Será sem comparação.[1]

2.         Sambhogakaya (Hojin) ou Corpo da Recompensa

Este é o Buda Amida e sua Terra Pura em formas transcendentais, como resultado das práticas de Dharmakara e seus Votos. É chamado “Corpo da Recompensa” porque é o efeito, ou “recompensa” de suas práticas e virtudes. Então, quando Dharmakara tornou-se Buda Amida, seus 48 votos tornaram-se métodos efetivos de salvação e sua Terra Pura veio a existir. Shakyamuni referiu-se ao Amida em sua forma Sambhogakaya quando disse para Ananda:

 “O Bodhisattva Dharmakara já alcançou o Estado de Buda e agora vive na terra de Buda do Oeste chamada de ‘Paz e Bem-aventurança’ que fica a cem mil kotis de terras de distância daqui. […] Desde que ele atingiu o Estado de Buda, dez kalpas se passaram.[2]

Tuesday, December 8, 2015

O desejo de tornar-se um Buda – a questão mais importante

O objetivo do budismo é tornar-se um Buda: não para pintar a vida em cores diferentes, não para tornar-se mais inteligente ou mais interessante, mas para tornar-se um verdadeiro Buda iluminado.
O caminho budista não é um método de relaxamento ou um remédio para dor de cabeça. Em outras palavras não é algo como: “Como podemos nos tornar pessoas mais felizes e calmas” ou uma receita para felicidade momentânea, mas sim um caminho para o estado Búdico ou liberdade completa para nós e eventualmente para todos os seres.

É vital para aqueles que entram no caminho budista, ter a aspiração de tornar-se um Buda. Sem esta aspiração não há verdadeiro budismo. Se não quisermos ou não sentirmos urgência em nos tornarmos livres dos muitos sofrimentos de nascimentos repetidos, então o budismo será para nós apenas um objeto de estudo, uma interessante discussão mitológica ou um deleite intelectual.
Existem, por assim dizer, duas visões que uma pessoa pode ter a respeito de si mesmo e do mundo: uma é a visão comum, dependendo da sua educação cultural ou preocupações diárias. A outra é a visão Dharmica.